7 de agosto de 2017

Ações para evitar a ruptura no ponto de venda

A ruptura no PDV é um caso onde todos os envolvidos saem perdendo. O consumidor, que desejava encontrar determinado produto na gôndola, não o encontra e pode questionar o sortimento da loja. O varejista pode ver a sua margem de ganho cair por conta da troca ou mesmo abandono da loja na ausência do produto desejado. E, por fim, o fabricante tem a fidelidade de seu cliente colocada à prova quando sua marca desejada não está presente no ponto de venda. Para auxiliar, criamos uma lista com sete dicas que você pode – e deve – colocar em prática para evitar esse problema.

Tenha suas informações à mão de forma atualizada – Se você é daqueles que mantém as informações relativas ao estoque desatualizadas com frequência, saiba que hoje existem ferramentas conectadas à rede que podem facilitar o seu trabalho e atualizar em tempo real os dados sobre a quantidade de produtos em estoque, o volume do sell out, além de auxiliar na coleta de informações extras pelas mãos dos promotores de venda, que podem ser enviadas em tempo real aos gestores.

A Timbre é uma agência focada em atividades de Trade Marketing, com expertise de mais de 27 anos no mercado oferecendo soluções para as melhores práticas nesta área. Com uma ferramenta proprietária, ela ajuda os gestores a obterem os melhores resultados das ações no Trade. Entre em contato e tenha a possibilidade de atualizar seus dados da maneira mais ágil e certeira.

Desenvolver um plano para perdas/avarias – Mesmo que não estejam expostos a intempéries como calor excessivo ou umidade, os produtos são vulneráveis a danos físicos como quedas, mau acondicionamento durante transporte ou mesmo uma pessoa mal intencionada que pode danificá-los ou furtá-los.

As avarias também são responsáveis pela falta de produtos nas gôndolas e mensurar as taxas de perda é uma excelente maneira para se identificar problemas e soluções para os danos causados aos produtos. Nessa aferição é importante levar em conta a validade para produtos perecíveis, por exemplo, que precisam ter seu giro adequado ao período em que se encontram próprios para o consumo.

Crie uma rotina de trabalho para seus promotores – Ter uma rotina acompanhada por um check list de tarefas ajuda aos promotores e gerir de forma mais eficaz o seu tempo em uma loja. Além disso, com a plataforma de comunicação adequada, os gestores podem auxiliar e tirar dúvidas de maneira muito mais rápida tendo em mãos informações atualizadas sobre o estoque e sell out dos produtos.

Trabalhe pontos extras – Mercadorias com um giro rápido podem necessitar o tempo inteiro de reposições e para se evitar muitas idas e vindas do repositor ao estoque, um ponto extra pode ser uma boa solução para se evitar a ruptura. Para isso, é necessário ter um bom relacionamento com o varejista e justificar sua demanda mostrando as vantagens para o cliente, a loja e para o fabricante nesta equação.

Análise suas métricas constantemente – É importante um acompanhamento contínuo das métricas propostas pela equipe de Trade. É por meio delas que será possível conhecer o funcionamento e os comportamentos dos shoppers nos diferentes pontos de venda. Conhecendo esses dados é possível desenvolver a rotina descrita acima, pois imprevistos podem sempre acontecer, mas quando você acompanha de perto a evolução dos números, fica mais fácil minimizar as perdas e guardar soluções na manga para imprevistos.

Entre uma das métricas importantes para se evitar a ruptura está conhecer o número mínimo de volumes necessários para o ponto de venda estar abastecido, sem chances de haver falta de produtos. Conhecer os movimentos e fluxos de venda também ajuda a provisionar o estoque e evitar espaços vazios nas gôndolas.

Também é importante conhecer as taxas de ruptura da categoria em que seus produtos estão inseridos. A partir dessas informações é possível estabelecer metas e controlar os estoques a partir desses parâmetros.

Fortaleça os vínculos com a equipe do varejista – É sabido que parte das atividades do promotor é coletar dados e reportar para o seu gestor. Mas, quando, por exemplo, a pessoa do checkout ouvir dos clientes sobre a ausência ou até o aumento da procura por determinado produto – sobretudo itens sazonais – e puder alertar o promotor, agilizará ainda mais o processo de reposição. Para que isso seja possível é fundamental uma relação de cumplicidade entre a equipe do varejista e os promotores de venda.

Conheça o giro de seu produto – Essa atividade é fundamental para manter a constância da reposição de produtos na loja e o fluxo de saída de itens do estoque. Produtos perecíveis tendem a ter um giro muito mais veloz do que aparelhos eletrônicos e itens de valor e preços mais elevados ou com vida útil mais longa. A partir do conhecimento e mensuração do giro do produto é possível estabelecer as rotinas e a periodicidade com que o promotor deve visitar a loja e repor a gôndola.

Estes são apenas alguns passos que se pode seguir para garantir que o produto esteja presente nas prateleiras, mas também é possível identificar em sua gestão oportunidades de melhorias e minimização de danos. Para isso, é necessário mergulhar nas tarefas que compõem as atividades do seu departamento, fazer visitas de imersão nas redes de parceiros, conhecer suas instalações e compartilhar as boas práticas, fazendo com que todos os envolvidos nessa relação – consumidores, clientes e distribuidores – saiam ganhando.

Varejo
About mkt

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *