20 de abril de 2017

Como fugir dos clichês em entrevistas de emprego

Frases prontas não são bem interpretadas pelos entrevistadores – ainda mais quando a pergunta for relacionada com vivências e aspectos pessoais. Cada pessoa age de uma forma diferente e é praticamente impossível que todas tenham as mesmas características comportamentais.

Ou seja: respostas ensaiadas não convencem mais recrutadores e gestores; e candidatos têm que mostrar que sabem se auto avaliar. A forma mais indicada de responder esses questionamentos é trazendo exemplos de experiências profissionais já vividas.
A seguir, veja formas de fugir dos clichês mais comuns em entrevistas de emprego:

OBJETIVO PROFISSIONAL
Um candidato precisa ser sincero ao responder seus objetivos de carreira dentro da empresa contratante.
Dizer que está em busca de novos desafios é uma das respostas mais clichês relacionadas a esse questionamento, mas quando o profissional sabe complementar a frase, mostrando como quer se desenvolver, o que está esperando da posição nova, como quer aprender e contribuir com a organização, consegue contornar a situação.
Se o candidato for citar sobre desafios, é preciso definir de forma exata o que são esses desafios, como quer alcançá-los e como irá se desenvolver profissionalmente a partir deles.

PONTOS FORTES E FRACOS
O item de pontos fortes e fracos, no qual os candidatos devem responder sobre defeitos e qualidades, requer auto avaliação por parte do profissional.
Alguns candidatos não sabem fazer essa avaliação e têm medo de citar algum defeito que possa ser prejudicial para a contratação. Por isso, acabam citando os clichês ansiedade e perfeccionismo – características consideradas neutras.
Cada pessoa possui um perfil diferente. Por isso, apresentar todos os pontos fortes e fracos iguais não demonstra criatividade e, muito menos, maturidade. É preciso transparecer quem você realmente é. Mostrar que é sincero e que sabe sim se avaliar e apontar o que precisa desenvolver.

HOBBIES
Hobby é o que você faz em seu tempo livre. No entanto, alguns candidatos utilizam o questionamento para mostrar o quanto estão preocupados com o seu desenvolvimento profissional.
Está cada vez mais comum falar sobre gostar de estudar no tempo livre. Não duvidamos, mas Recrutadores querem saber sobre distrações: filmes, passeios, atividades, esportes. Trazemos gostos do dia a dia para a realidade do mundo dos negócios. Um candidato que gosta de esportes, por exemplo, mostra que sabe trabalhar em equipe.
Ao falar sobre hobbies, é preciso saber responder. Falar que gosta de ler, mas não saber indicar qual foi o último livro que leu, pode ser interpretado como falta de transparência. Não existe resposta obrigatória nesse item, só é preciso sinceridade.

IDIOMAS
Mentiras são inaceitáveis durante uma entrevista de emprego e conseguem ser facilmente descobertas por parte do entrevistador.

Um clichê relacionado a idiomas é colocar que possui inglês avançado no currículo. No entanto, quando chega à entrevista e começa a ser questionado em inglês, o profissional não consegue responder.
Alguns começam a falar sobre ter vergonha ou não lembrar exatamente como falar, pois estão há muito tempo sem praticar. Essas atitudes queimam a imagem do candidato dentro da empresa contratante – é preciso ser sincero para evitar situações constrangedoras.

rh
About TIMBRE

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *